sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Para nós é um honra e motivo de muitas satisfações, termos nosso blog divulgado no site oficial nacional, ARTE NA ESCOLA. Recebemos isso, como um reconhecimento aos nossos esforços, no sentido de estudar, explorar possibilidades artísticas práticas, conceituais e tecnológicas. Recebemos ainda, como estímulos para darmos continuidade na investigação dos fundamentos teóricos da arte contemporânea, bem como na execução de trabalhos, cada vez com maior qualidade e comprometimento.
Registramos aqui, nosso agradecimento à coordenação das atividades desse importante órgão educacional! MUITO OBRIGADO!
Acesse, por lá!

http://www.artenaescola.org.br/links_nasc.php#i

segunda-feira, 27 de outubro de 2008


Porque não falar das preocupações humanas contemporâneas que tanto permeiam nosso cotidiano quanto a vida saudável? A acadêmica buscou formas de alimentos naturais e inseriu o desenho de sua própria imagem nas mesmas. Numa linguagem singela e clara, através de materiais alternativos. Usou o recurso da seriação através das dimensões, da imagem desenhada e da idéias das formas, ainda que diferenciadas por natureza. Transita entre a arte decorativa e conceitual produzindo experiências estéticas na categoria do belo singelo. É no fazer, no exercício e no empenho em compreender os novos paradgmas da arte que nos apropriamos dos conhecimentos e galgamos novos patamares nessa escala de conceitos.




terça-feira, 7 de outubro de 2008

LIVRO DE ARTISTA

Cortes e recortes marcam o livro de artista. Imagens produzidas através de modelos vivos do próprio contexto acadêmico nas perfomances em sala e aula. Sala tradicional, que foi transformada em laboratório de produção de imagens. Selecionadas pela acadêmica criaram uma eloqüênte poética contemporânea.

REFLEXOS ENQUADRADOS


A opção em trabalhar com uma interferência no campus, que provocasse o público passante com seus próprios reflexos, realmente interferiu e provocou. Fragmentos efêmeros de reflexos humanos! Instantâneos reconhecimentos de si mesmo em meio a turbulência do vai e vem...convite a uma breve parada!

RETRATOS DE FAMÍLIA

Retratos de família traz a tona reflexões importantes e significativas no contexto conteporâneo. Vínculos e rompimentos marcam a instabilidade das relações familiares, que as "sombras brancas" desse trabalho artístico põem em evidência. Mais que presenças, as imagens sugerem o vazio e as ausências.


A construção e trajetória dos laços de amizade, representada na seriação quadriculada sobre as linhas azul e vermelha. Calor e frio sustentam as relações humanas.







domingo, 5 de outubro de 2008

As possibilidades de apropriação artística do "desenho" da figura humana têm sido explorada de forma criativa e inusitada pelas acadêmicas do curso de Arte Educação - Visuais -UNIPLAC. Entre sombras e reflexos, objetos, instalações, livro de artista, seriação, interferência e outras categorias contemporâneas, estão distribuídas no campus da universidade, provocando expectadores passantes.

sábado, 4 de outubro de 2008

"Ai, espelho, espelho! Espelho dos meus segredos, de mil faces que em ti deixei gravadas. Por que estranhas ironias me devolves a imagem do tempo, aquele em que fui amado?'(Brito)

"Estilhacei o espelho a pontapés, pensando destruir a própria imagem. ( E era eu que habitava além do espelho). Por isso em cada caco habitava agora um pedaço de mim, equartejado...(Simões)

Confronto com o espelho...observação única...somos únicos... multiplicados pelo espelho!



quinta-feira, 2 de outubro de 2008

















SEGUNDO SEMESTRE ARTES VISUAIS

TRABALHOS ARTISTICOS DAS ACADÊMICAS:
Alana Tasie Alves dos Santos
Ana Paula Oliveira
Angelica Cristiani Scheffer Moraes
Angelita Burigo Rosso Dutra
Carolina Leite de Souza
Edeltraut Wunderlich de Andrade
Eliane Cardozo da Cruz de Oliveira
Elizandrea Bittencourt Gonçalves
Elizangela Rosa Vieira
Franciéle Ferreira Flores
Hellen de Castro Doege
Iraci Carvalho Casagrande
Karine Prestes Ribeiro
Luciana Aparecida Ortiz da Rosa
Malba Vieira de Souza de Marco
Margarete Aparecida Manenti Ribeiro
Patrícia Flores de Matos Felimberti
Rosimeri Uhry Lunardi
Sinthia Rodrigues do Amaral

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E A ARTE VISUAL NA ESCOLA

VERA MELIM


A Arte Visual e seus significados técnicos, conceituais e especialmente os significados com o contexto tempo/espaço no qual foi produzida, só pode ser mediada na escola, de forma séria e responsável, pelo professor que passa por todo o processo de apropriação desses conhecimentos. Incluindo, especialmente as experiências de produção em um fazer artístico comprometido. Comprometido com a teoria apreendida. Vivenciado intensamente! Relacionando o conhecimento teórico com esforço consciente da produção poético/prática. Produção essa, que exige a associação do conhecimento teórico refletido em todo o processo: desde a escolha do tema/conceito que quer expressar, até a escolha dos materiais; no pensar sobre espaço/tempo expositivo; e também no solucionar problemas técnicos da instalação, para que não interfiram no significado que quer expressar e nem na experiência estética do observador.
Para compreender a arte em sua profundidade - não em sua totalidade porque isso é ilusão -, o futuro, ou futura professora de arte visual, precisa incorporar a paixão pelo conhecimento, pela produção de arte e entregar-se aos processos com o entusiasmo que a mesma paixão infunde.
A qualidade do ensino de arte na escola, portanto, está na formação do professor. No conhecimento adquirido; nas experiências realizadas; nas resoluções formais e estéticas; na compreensão do que a arte significa para cultura histórica humana; para o desenvolvimento do potencial criativo de cada indivíduo e afinal, para a transformação evolutiva da sociedade.
Não basta fazer por fazer. É preciso incorporar a arte completamente para então mediar significativamente.
AS SOMBRAS NA ARTE


Por Vera Melim

A imaterialidade das sombras produzem experiências estéticas enigmáticas e intrigantes.
Na relação conceito-sombra, vista do ponto de vista particular de cada expectador, ela se transforma e se agiganta em imagens mentais. Assim com a sombra projetada na matéria, transforma, deforma e agiganta a imagem da realidade, na mente do público expectador ela atinge dimensões insuspeitadas. Produzem emoções antagônicas. Experiências estéticas híbridas: do belo ao feio; do real ao irreal; do grotesco ao sublime; do estranhamento ao contextualizado... É a arte em campo expandido, ampliando suas perspectivas de leitura e apropriação, na construção de novos significados. Desperta a criatividade nata em cada observador ativo. E nesse caso, a arte rompe com mais um paradigma: o de “ser artista”!
Trabalhar com as possibilidades significativas das sombras, é exercer o poder da magia. É colocar-se diante do ilimitado...! É aprender uma nova linguagem e transcender nas técnicas.
Associada às possibilidades tecnológicas contemporâneas - imagens fotográficas, estáticas e móveis, em publicações atemporais na web,etc. - as sombras do fazer artístico, ganham um status ainda mais amplo e significativo. Tantos signos, só podem ser compreendidos em sua totalidade, por quem cria e produz; por quem frui indo a fundo na busca dos significados contidos e por quem acompanha o processo do fazer... que nem sempre é feito apenas de prazer!

sexta-feira, 26 de setembro de 2008